Browse By

Coppolla: Mensagens roubadas pelos hackers não demonstram inocência de Lula – Liberdade de Opinião

Da CNN, em São Paulo10 de fevereiro de 2021 às 15:03

No quadro Liberdade de Opinião, do Visão CNN desta quarta-feira (10), o comentarista Caio Coppolla avalia a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) para que a defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tenha acesso às mensagens de procuradores da Operação Lava Jato.
“Essa decisão é flagrantemente ilegal e inconstitucional, como se depreende da nota oficial do Ministério Público Federal, que listou seis razões técnicas que tornam a prova imprestável. Além disso, a nota explicita a carência de interesse jurídico do réu em obter esse material, a importância do sigilo profissional em comunicações de autoridades públicas e demonstra a violação aos direitos fundamentais dos hackeados e das suas famílias, incluindo adolescentes e crianças, que também tiveram sua privacidade e intimidade expostas nos materiais submetidos ao STF”, disse.

“Mas vamos pular algumas etapas e imaginar o melhor cenário possível para a defesa do senhor Lula, um criminoso, com condenações por corrupção e lavagem de dinheiro e réu em múltiplos processos penais. (…) Para melhorar ainda mais as chances de Lula, vamos supor que o conteúdo deste material apresente inequívocas faltas processuais por parte da força-tarefa da Lava Jato, como, por exemplo, algum caso de suspeição do juiz de 1ª instância”, explicou.
“Ainda assim, mesmo nessa hipótese improvável e juridicamente absurda, há um fato incontornável: o material apreendido não tem o que se chama de conteúdo ‘exculpatório’; Ou seja, as mensagens roubadas e manipuladas pelos hackers fraudadores e estelionatários não demonstram a inocência de Lula e nem indicam que houve qualquer tipo de fabricação de provas ou incriminação indevida.”
O Liberdade de Opinião tem a participação de Caio Coppolla e Rita Lisauskas. O quadro vai ao ar diariamente na CNN.

As opiniões expressas nesta publicação não refletem, necessariamente, o posicionamento da CNN ou seus funcionários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *